terça-feira, 19 de julho de 2011

Os animais marinhos também precisam de proteção!

Criminosos mergulhadores pegos! Deviam ficar na cadeia!




OPERAÇÃO MEROS COMBATE A PESCA
ILEGAL NA COSTA MARÍTIMA BRASILEIRA

A Polícia Federal deflagrou entre os dias 15 a 17 de julho a Operação Meros para combater a pesca ilegal do peixe Epinephelus itajara, mais conhecido como mero. Foram apreendidos um barco, diversos equipamentos de mergulho e 700 quilos de peixe. Três mergulhadores foram presos em flagrante. Os trabalhos foram realizados pelo GEPOM – Grupo Especial de Polícia Marítima, que se deslocou a mais de 60 km da costa em busca de uma embarcação que estaria realizando atividades de caça submarina com a utilização de ar comprimido, em alto mar.  Após quatro horas de buscas, os policiais conseguiram localizar a embarcação Mestre Pedro, inscrita na Capitania dos Portos de Itajaí/SC, e prender em flagrante um grupo de mergulhadores que fazia caça submarina com a utilização de equipamentos de mergulho autônomo e dependente.  Na embarcação foi apreendido grande volume de equipamentos de mergulho (cilindros, roupas de neoprene, arbaletes, coletes, reguladores, compressor de ar) e mais de 700 quilos de peixes mortos pelos disparos dos arbaletes. Dentre os peixes capturados havia garoupas, badejos brancos, caranhas e seis espécimes de Mero, sendo que um deles pesava aproximadamente 100 quilos.  Três mergulhadores foram presos em flagrantes e encaminhados a Delegacia de Polícia Federal em Joinville. O barco e equipamentos foram apreendidos. O peixe foi destinado à pesquisa científica em Universidade da região com apoio de biólogos do Projeto Meros do Brasil. É a maior apreensão de Meros realizada no País desde a proibição de sua pesca. Ao deflagrar as operações policiais, o GEPOM de Joinville/SC realiza ainda um trabalho de conscientização ambiental junto à comunidade das regiões fiscalizadas.
Sobre o Mero - O Mero (Epinephelus itajara) é um peixe marinho da família Serranidae, que habita águas tropicais e subtropicais do Oceano Atlântico. Vive em zonas estuarinas e áreas costeiras. A vulnerabilidade da espécie se deve a algumas de suas características biológicas, como a maturação sexual tardia, territorialismo, agregação reprodutiva e suas grandes proporções – o Mero pode atingir 2,5 metros, pesar mais de 400 quilos e viver 40 anos. A biologia ainda pouco conhecida da espécie e a ameaça populacional resultaram no estabelecimento de uma moratória do IBAMA (Portaria IBAMA nº 42/2007), que proíbe a caça, pesca, transporte e comercialização do peixe.
(do Jornal Absoluto de 19/07/2011)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário